O acesso do povo

O poeta e compositor Milton Nascimento escreveu que “cantar era buscar o caminho que vai dar no sol”, não foi o que ocorreu no início do ano, planejamento mal executado, treinador não conseguia dar rumo certo ao elenco, fracasso no estadual, na Copa do Brasil e no Nordestão. Aí veio outro canto, o do protesto, torcida com a roupa encharcada de 8 anos de Série C, a alma Repleta de indignação buscou novos rumos, mudança na diretoria, quarto comando técnico do ano, cantando como se disfarçasse o grito de dor, não me cansou de viver nem de cantar, a alegria voltou ao Pici, em três partidas memoráveis, uma contra o Moto Club, duas contra o Tupi, a torcida trocou o grito do protesto pela bandeira do acesso.

O ódio e o amor são, fundamentalmente, inimigos. Só se aproximam para se sonhar alto ou para se devorar. Atletas execrados pela torcida no começo do ano, como Bruno Melo e Ligger, transformaram-se em indestrutíveis heróis populares. O sonho de disputar acesso para a série A no ano do centenário agora é uma realidade. Frise-se que 8 titulares são da época anterior aos grandes protestos: Boeck, Felipe, Ligger, Bruno Melo, Anderson Uchoa, Pablo, Leandro Lima e Lúcio Flávio. O que faltava era o espírito incendiário da paixão, a fleuma da vitória, Zago conseguiu o que parecia impossível: transformar em sucesso o que o fracasso teimava em endeusar.

E assim terminou o ano: comemoração, invasão a aeroporto, invasão a estádio visitante, simbiótica união torcida, jogadores, diretoria. Zago herói, Boeck ídolo, Bruno Melo renascido, mundo vermelho, azul e branco. Feliz centenário, FORTALEZA!

CONSIDERAÇÕES GERAIS: “O sucesso é ir de fracasso em fracasso sem perder o entusiasmo”

01) O escritor John Mílton brindou-nos com a célere frase “é melhor reinar no inferno a ser escravo no céu.” Esse tem sido o pensamento dos que dirigem o Fortaleza? Será preferível ser Rei na série C do que time qualquer nas séries superiores? A verdade é que ninguém aguenta mais.

02) Na contramão da história, vejo Jorge Mota com mais acertos que erros, como a conquista do bicampeonato estadual, responsabilidade fiscal, credibilidade nacional, clube sendo respeitado em várias esferas, mas sua gestão pecou na demora em contratações para posições pontuais e não reposição de perdas do elenco, como Jean Mota e Dudu Cearense.

03) Que se faça valer a frase de Wiston Churchill, “O sucesso é ir de fracasso em fracasso sem perder o entusiasmo”. Que venha a nova diretoria, com componentes da antiga ou com renovação, Estêvão Romcy já foi diretor e vem com proposta inovadora, grupo atual vem com experiência dos insucessos anteriores e sabendo como corrigi-los, mas que seja ano vitorioso, mais um fracasso é inadmissível!

CONSIDERAÇÕES GERAIS: Copa do Brasil e mata-mata da série C


01) Finalmente o mata-mata, mais uma vez o Fortaleza joga a primeira partida fora de casa, mais uma vez a decisão é na Arena Castelão, só que dessa vez ninguém aponta o Leão como franco favorito, aliás, pessoal do SporTV até acha que o Juventude, adversário tricolor, está perto do acesso. Melhor assim, joga a responsabilidade para o lado de lá. Ontem, treino de luxo, Fortaleza 1×0 Internacional, estreia do novo treinador.

02) Hemerson Maria fez estreia com vitória, mas não agradou muito nas substituições, ainda está conhecendo o grupo, precisa de mais um amistoso para montar melhor a equipe. Talvez contra o Guarani de Juazeiro, pela taça Fares Lopes, para encontrar o grupo certo. Na verdade, no primeiro tempo o Fortaleza poderia ter vencido por 2 ou 3 gols de vantagem, no segundo, não manteve a mesma fleuma no ataque. Parou no esquema do Internacional.

03) Berna fez uma boa defesa, mas foi inseguro nas saídas, inclusive merecia ser expulso por colocar mão fora da área, não passa a devida segurança à defesa, mas é o goleiro titular do acesso, temos que confiar. Felipe caiu muito, errando passes simples, cobriu bem na defesa, mas comprometeu na frente, não foi agudo como na partida contra o Flamengo. Lima muito bem na cobertura e na marcação, errou um passe que proporcionou contra-ataque, mas se fosse perfeito estava no futebol europeu. Foi bem o capitão. Edimar tem boa disposição, boa vontade, só erra às vezes no posicionamento e sobrecarrega os volantes, inseguro na saída de bola. William Simões: nunca o havia elogiado, mas ontem foi bem na marcação e razoável no apoio, precisa de mais autoconfiança no apoio.

04) Na meia cancha, Juliano foi eficiente, como sempre, teve um erro de passe que complicou, mas foi bem no geral. Corrêa, muito bem, apoiou, defendeu, fez sua parte, um dos melhores em campo, ao lado de Lima. Éverton foi excelente no primeiro tempo, caiu no segundo tempo. Sobralense, grande primeiro tempo, segundo tempo sofrível.

05) O ataque não marcou gols, Anselmo teve duas boas finalizações, mas saiu muito da área, não sei se orientação do novo treinador. Juninho foi horrível, sem produzir nem marcar. É um setor que ainda carece de alguém que possa dar consistência e munir Anselmo para que saiam os gols.

06) Ingressos já à venda para o mata-mata, assegure logo o seu ou seja vítima de cambistas. É a hora da onça beber água!

CONSIDERAÇÕES GERAIS – empate nada bom contra o Asa


01) Asa 1×1 Fortaleza, se o Leão está atravessando um inferno, é melhor continuar andando, com passos mais largos, porque a situação está complicada, não criamos, defendemos irregularmente, em suma, torcida está desacreditando no objetivo maior da temporada: o acesso.

02) Mas se a situação está ruim, está na hora de se criar uma nova história e acreditar nela, porque uma provação amarga pode ser uma bênção disfarçada, se a equipe acreditar que quem sabe faz a hora, não espera acontecer, o time pode encorpar e partir para o sonhado acesso, não se pode ficar lamentando, não há tempo para isso.

03) Focar no acesso não é só um discurso vazio, tem que fechar o grupo em torno do objetivo e afastar quem nele não está comprometido. Alguns atletas parecem acreditar que resolverão a situação a qualquer momento. Dizer que a atuação pífia de hoje foi por causa do gramado é ridículo, faltou entrega em campo, nitidamente.

04) Não gostei do Rosinei, prefiro o Correa, maior entrega em campo, bate faltas em curva sempre com perigo, é mais lento, mas mais confiável. Nossas alas continuam inoperantes, dependemos da criação pelo meio, que quase não existe. Raphael entrou hoje, ainda é cedo para se avaliar, mas o time precisa de opções abertas pelas alas para furar bloqueios defensivos.

05) Contra o Remo, é vencer ou vencer, empate pode ser a despedida prematura da competição, foco 100% na partida. Papel da torcida tem que ser de incentivo, problemas se resolvem depois, é hora de passar confiança ao grupo, até o apito final do árbitro. Separados, somos um time, juntos somos Fortaleza!

CONSIDERAÇÕES GERAIS – A paciência do tricolor acabou

torca2

01) Perder do até então lanterna da competição, sem jogar com determinação ou compromisso, parecendo que queria perder propositadamente, foi a gota d’água para o torcedor do Fortaleza. Será que alguém avisou que era o último jogo contra time que não briga pelo acesso? Estava 0x0 e Erivélton (que não teve culpa nos 2 gols que levou) fazendo cera, rolando a bola dentro da área por quase 1 minuto. Esse era o retrato de um time apático, errando passes de 5 metros. Por que esse respeito excessivo ao adversário? Afinal, era jogo contra o lanterna da competição ou contra o líder? era medo da torcida adversária? como, se o jogo era em campo neutro?

02) Aí vem entrevista dizendo que “o Cuiabá teve seus méritos”. Quais? afora os dois gols, que defesa fez Erivélton? que ataque perigoso o Cuiabá perdeu? O time adversário é horrível, mas nós temos que nos iludir com o argumento “jogaram o jogo de sua vida”? O objetivo é ser campeão, mas será que alguém avisou que estamos a 3 pontos do 5º colocado? Que para ser campeão precisa primeiro se classificar bem para decidir em casa? Aí vêm contratações como Leozinho, Railan, João Paulo, entre outros, será que são as peças necessárias para a competição?

03) Willian Simões e Felipe foram peças nulas, anulando possibilidades de ocupação de espaços pelas laterais do campo, Simões manteve-se como vem desde o início do ano, problema foi o Felipe, que desde o jogo contra o Flamengo, destaque em campo, nunca mais fez uma apresentação que se aproveitasse. Não quer mais jogar no Fortaleza, banco nele! mas como, colocar esse sofrível Railan? Improvisar Edimar ou Pio? Quem no lugar deles? Elivelton, com atuação lastimosa? Jogar com 2 volantes?

04) Até Correia e Juliano se contaminaram. Correia fez pênalti infantil e distribuiu passes errados, Juliano, irreconhecível. Assim fica difícil … Sobralense esteve em campo mesmo? Talvez quem ainda procurou alguma coisa foi Rodrigo Andrade, mas foi irresponsável ao ser expulso, merecidamente.

05) Culpar Anselmo, isolado e sem receber lançamentos aproveitáveis, é até sacanagem da galera. Ou Marquinhos se impõe e cobra reforços de verdade ou a vaca vai para o brejo. Empatamos com Confiança em casa, após estarmos perdendo por 2×0, vencemos o América com 2 gols dados pelo goleiro adversário, perdemos do lanterna, que avisos mais precisamos para perceber que a coisa está degringolando? Torcida não aguenta mais! Atletas só querem jogar a Copa do Brasil, pois se mude o elenco ou a postura, como está, não dá mais!

CONSIDERAÇÕES GERAIS – 13ª rodada, os fortes sobreviverão

serie c 13 rodada

Chegamos à maratona olímpica da 13ª rodada da série C, 6 times continuam focinho a focinho na luta pelas 4 vagas, 1 ainda sonha com acesso, mas está mais próximo da zona de rebaixamento, 3 brigam diretamente para permanecer na série C 2017. Confrontos da rodada:

Botafogo-PB (3º, com 19 pontos) x Remo (2º com 20 pontos)
O Belo paraibano vem de empate na última rodada, 1×1 contra o ABC, em Natal, não vence há duas rodadas, vem com tudo nessa briga direta por vaga contra o Remo, que vem invicto há 5 rodadas, 3 vitórias e 2 empates, saindo do risco de rebaixamento para a vice-liderança. O empate pode até ser bom para o Remo, mas para o Botafogo, só a vitória interessa, pois corre sério risco de sair do G-4, em caso de derrota ou empate. Jogo equilibrado, difícil prognóstico.

América-RN (7º, com 13 pontos) x Salgueiro (6º, com 16 pontos)
O Dragão potiguar só pode pensar em vitória, um simples empate e o projeto 2016 pode estar comprometido. Para isso, o Mecão contará com 3 estreias e um time jogando para frente os 90 minutos. O Salgueiro ainda sonha com acesso e uma vitória pode coloca-lo no G-4, em caso de derrota de Asa e ABC. Os 2 clubes vêm de derrota na rodada anterior, e não podem mais desperdiçar pontos. O América não vence há 4 rodadas e vive momento mais delicado.

Confiança (8º, com 12 pontos) x ABC (5º, com 18 pontos)
Matematicamente, o Confiança ainda possui chances remotas de classificação, mas o certo mesmo é sua luta para fugir do rebaixamento. Invicto há 3 partidas, uma vitória e dois empates, o Confiança se reforçou nas últimas rodadas e vem com tudo para desbancar o ABC. O time alvinegro potiguar, que empatou em casa contra o Botafogo, tendo perdido na rodada anterior para o Salgueiro, tem que vencer para voltar ao G-4. O time, que já disputou a liderança, caiu de produção e tem que vencer os times de baixo na tabela para recuperar preciosos pontos.

River (10º, com 10 pontos) x Asa (4º, com 19 pontos)
O lanterna do grupo tenta desesperadamente galgar pontos para sair da zona de rebaixamento, vem de 2 empates e uma derrota, mas com a determinação de conseguir escapar da degola. Contratou 4 jogadores e subiu de produção em campo, faltam os resultados serem favoráveis. O Asa, que vem de vitória fora de casa, tem que vencer para se manter no G-4. Como enfrenta o lanterna, tem a obrigação do resultado, e isso pode dificultar sua missão, uma vez que terá que jogar mais adiantado, abrindo espaços para o perigoso Ríver.

Cuiabá (9º lugar, com 10 pontos) x Fortaleza (1º lugar, com 22 pontos)
Embora seja o maior favorito da rodada, o Fortaleza enfrenta um Cuiabá em crescimento, que venceu o Botafogo há duas rodadas e na rodada anterior empatou fora de casa com o Confiança. Preocupado com a Copa do Brasil, o Fortaleza quer garantir passaporte antecipado para a próxima fase da série C, para se dedicar ao confronto com o Internacional-RS, pela Copa do Brasil. O Cuiabá está na vice-lanterna e qualquer resultado que não seja vitória o deixará na iminência do rebaixamento.

CONSIDERAÇÕES GERAIS: Liderança se conquista com competência

01) Fortaleza 2×1 América-RN, o resultado foi mais equilibrado do que o jogo. Não que o Fortaleza tenha jogado um primor de partida, mas o América mesmo perdendo continuou recuado, sem oferecer perigo à meta do tricolor de aço. Ao todo, o time potiguar fez um gol e teve um outro ataque com perigo, mais nada.

02) Jogo em que os goleiros fizeram a diferença negativamente, Erivelton, do Fortaleza, falhou no gol do América, Camilo, do América falhou bizarramente no primeiro gol do Fortaleza e falhou levemente no segundo. Fortaleza precisa investir em um goleiro confiável, detalhes fazem a diferença em jogos decisivos.

03) Laterais do Fortaleza precisam urgentemente de reciclagem, Felipe parece estar proibido de subir ao ataque, Willian Simões sobe, mas com qualidade baixa, sem fazer muita diferença. A zaga mostrou-se mais eficaz que em jogos anteriores, mas no gol do América havia simplesmente 3 jogadores inteiramente livres para marcar.

04) Se Juliano não repetiu suas anteriores atuações, Corrêa esteve muito bem, supriu a deficiência no setor. Pio fez o gol e participou de dois lances importantes, inclusive acertou a trave adversária em jogada individual, mas esteve meio sonolento na partida. Sobralense esteve bem na parte de criar espaços, mas além do gol, pouco produziu em termos ofensivos. Rodrigo Andrade precisa de ritmo de jogo, mas mostrou duas qualidades: não se omite e procura resolver a partida, só precisa ser menos individualista.

05) Anselmo perdeu gol feito e também esteve sumido na partida. Tem crédito com a torcida, mas precisamos que nossos atletas liguem as tomadas e joguem em ritmo decisivo, com mais frequência de ataque. 5 finalizações com perigo, sendo 2 gols é pouco para a qualidade do elenco. Não é cornetar o time, é pedir marcação na saída de bola, mais velocidade na troca de passes, para que cheguemos em boa condição de decidir o nosso destino na série C.

12ª RODADA DE EMOÇÕES: do céu ao inferno

Foto serie c

Final de semana de Série C, com 6 clubes brigando pelo G-4, 3 contra o rebaixamento e 1 para se decidir se entra no grupo de cima ou de baixo. Em clima de olimpíada, confrontos à flor da pele. Vale salientar que, na rodada anterior, nenhum time do G-4 venceu.

Remo (4º lugar, com 17 pontos) x Ríver (9º lugar, com 10 pontos)
A vantagem do mando de campo e a boa colocação do Remo credenciam-no como favorito, mas o Ríver está invicto há 4 rodadas (duas vitórias e dois empates), possui remota chance de se classificar para a segunda fase e quer apagar o risco de rebaixamento. Jogo bom e que vale à pena conferir.

ABC (3º lugar, com 17 pontos) x Botafogo-PB (2º lugar, com 18 pontos)
Briga direta no G-4. O ABC começou mal a competição e na 11ª rodada deixou de chegar à liderança. vem motivado e contratando para se reforçar ainda mais. O Botafogo vem fazendo boas apresentações e quer manter o foco no acesso. Os dois clubes perderam na rodada passada e a vitória será fundamental para ambos, por isso promessa de grande jogo. Quem perder pode até sair do G-4, quem vencer pode ficar na liderança.

Salgueiro (6º lugar, com 16 pontos) x ASA (5º lugar, com 16 pontos)
Equilíbrio e sonhos estão em jogo nesse jogo. Quem vencer termina a rodada no G-4, quem perder vai se distanciar do grupo que luta pelo acesso. Jogo dos times que fazem sombra ao G-4, empate não é bom resultado para ninguém. O Asa, que já foi líder, não vence há duas partidas, precisa de reação, o Salgueiro, que venceu heroicamente o ABC na rodada anterior, está cheio de gás e joga em seus domínios. Prognósticos imprevisíveis.

Confiança (8º lugar, com 11 pontos) x Cuiabá (10º lugar, com 9 pontos)
É o jogo picolé de chuchu da rodada, 2 times que brigam contra o rebaixamento, a derrota do Cuiabá em casa praticamente selaria seu rebaixamento, a derrota do Confiança derrubaria uma boa reação, já que não perde há 3 rodadas (uma vitória e dois empates). O Confiança ainda sonha com a classificação, mas para isso tem que vencer seus próximos 3 compromissos, para brigar na parte de cima da tabela.

Fortaleza (1º lugar, com 19 pontos) x América-RN (7º lugar, com 13 pontos)
O Fortaleza lidera o grupo A, mas tem 5 times em seu encalço. Como vem de dois empates, sendo o último em casa, gerando desconfiança na torcida, precisa vencer e se afirmar como principal candidato ao acesso do grupo. o América faz campanha irregular, a ponto de estar a 4 pontos do G-4 e a 3 do rebaixamento, jogo importante para o dragão potiguar, pois uma vitória o credencia a brigar pelo G-4 nas próximas rodadas e uma derrota o coloca na mira dos times do rebaixamento. Grande jogo!

CONSIDERAÇÕES GERAIS: dois jogos, duas medidas


Fonte da foto: http://imgs.opovo.com.br/app/noticia_132346504881/2016/08/01/3642214/3.jpg

01) Quem assistiu ao jogo Fortaleza 4×1 América-MG e Fortaleza 2×2 Confiança, deve pensar: foi o mesmo time em campo? Na verdade, somente duas alterações, saíram Juninho e Willian Simões, entraram Pio e Bruno Melo. O que diferenciou, basicamente, foi a vontade da equipe. Contra o América partiu para cima, marcou saída de bola, Sobralense (que foi substituído durante a partida) e Éverton alternaram lados do campo para criação de jogadas, contra o Confiança, 3 volantes, jogo burocrático, parecia que venceria a partida quando quisesse, mas não quis.

02) Li e ouvi comentários dizendo que o Márcio Fernandes deu um nó tático em Marquinhos Santos, não vi isso, pelo contrário, vi displicência de alguns jogadores e uma preguiça arretada, parecia que a turma estava de ressaca. Contra o América, o que se viu foi doação em campo, Willian Simões (pasmem, estou elogiando) mudando de setor, da lateral para a meia cancha, para cobrir subidas de Correia ou Juliano, contra o Confiança, cada qual no seu quadrado, sem entrega em campo.

03) Berna esteve bem nas duas partidas, mas não transmite mais aquela confiança anterior. Lima voltou a dar uma pixotada grande contra o América, tentou drible de corpo e ocasionou a melhor chance do adversário, bem defendida por Berna. Contra o Confiança, parecia meio lento, mais cercando do que marcando, ainda é titular absoluto, mas precisa voltar a se empolgar. Edimar contra o Confiança quase entregou o ouro duas vezes, está sem vontade. Contra o América estava mais ligado, mas não é unanimidade. Bruno Melo entrou no posto de Simões, mas pouco acrescentou ao setor. Não se pode culpá-lo, o time todo esteve abaixo da média.

04) Juliano e Correia mantiveram constância nas duas partidas, Pio esteve displicente ontem, Éverton vontadoso, mas pouco criativo no jogo de domingo, bem e caindo pelos lados na quinta-feira. A novidade de domingo foi a estreia de Rodrigo Andrade, pelo padrão do time, pelo menos mostrou ter técnica e capacidade de finalização. João Paulo já não agradou tanto. Aliás, quem deveria ter saído era o Corrêa, não o Juliano, maior capacidade de marcação.

05) Torcedor é muito emotivo, motivo de pilhérias. Quinta-feira, saímos achando que éramos a maior potência futebolística do mundo, todos só comentavam aspectos de grandeza. Domingo saímos de campo achando que não temos plantel para uma decisão de vaga na série C. Do céu ao inferno é só uma má apresentação! Tentando sensatez: o elenco tem condições de título na série C, mas não temos peças de reposição à altura. É preciso focar no brasileiro, porque a série C é a mãe de todos os nossos problemas atuais.

CONSIDERAÇÕES GERAIS – balanço do Fortaleza

https://i0.wp.com/s2.glbimg.com/N3MtQuHnwlle1icnsrdURv5NCEc=/200x236:1869x1176/640x360/s.glbimg.com/es/ge/f/original/2016/07/17/jl_5143_uer57tf.jpg?w=600

01) Fortaleza 1×0 Botafogo, pelo placar presume=se uma partida equilibrada, decidida no detalhe, mas a realidade é que o Fortaleza perdeu pelo menos 7 oportunidades reais de gol, não sendo incomodado pelo adversário. O placar não traduziu a superioridade do Leão, mas abriu janelas para um problema crônico do time: a dificuldade em furar retrancas.

02) Dizer que foi um primor de apresentação também é exagero, a verdade é que nossa articulação de meio está deficiente, a vantagem foi a má exibição do time paraibano, que se negou a encarar o tricolor de frente.O Fortaleza, que nada tem com isso, aproveiotou-se para retomar a liderança da competição.

03) A verdade é que foi a melhor apresentação do Fortaleza desde a partida contra o América-RN. De lá para cá temos dificuldades em articulações e criação de jogadas. Vencemos o ASA em casa, levando pressão e jogando a conta do chá, assim como outras partidas. Contratações estão chegando, problema é arrumar o time em tempo hábil.

04) Berna falhou em alguns jogos, nas primeiras 9 partidas, é bom goleiro, mas não inspira aquela confiança necessária. Na ala direita, Felipe vem sendo o mais regular, embora tenha caído de produção, na esquerda, Willian Simões e Bruninho recebem desconfiança da torcida, muitos apostam no inexperiente Bruno Melo na posição. A zaga oscila, também, Lima é titular absoluto, Edimar e Elivelton são vistos com desconfiança.

05) A volta de Juliano deixou claro que o Fortaleza precisa desse atleta, sem ele o setor fica vulnerável e perde-se na saída de bola. Sobralense voltou, marcou gol, mas está longe das atuações de 2015, precisa de ritmo de competição. Éverton é voluntarioso, incansável, mas articula pouco as jogadas. Correia está distante das atuações de 2015, mas ainda tem condições de titularidade, Pio, que não jogou hoje, divide opiniões, passa em minutos de herói a bandido na mesma partida.

06) Anselmo não balança as redes desde o jogo contra o Salgueiro, está muito isolado. Hoje, caiu muito pelos lados, para não passar a partida sem participação. Juninho fez a jogada que resultou o gol, mais nada, há muito vem devendo, nosso ataque está precisando de mais movimentação.

07) De resto, continuo acreditando no acesso, sou torcedor, mas por falta de um grito às vezes perde-se uma boiada, torcida precisa mostrar seus temores para que contratações sejam feitas.