Gerente de futebol do Corinthians assegura permanência de Gustavo até o final da temporada no Fortaleza

Gustavo, atacante do Fortaleza, marcou 4 gols pela estreia do Cearense (Foto: Divulgação)
Gustavo, atacante do Fortaleza, marcou 4 gols pela estreia do Cearense (Foto: Divulgação)

Com um início de ano bastante promissor, o novo atacante do Fortaleza, Gustavo, mais conhecido como “Gustagol”, já começou sua temporada 2018 de pé direito. Isso porque desde sua primeira partida no Campeonato Cearense contra o Uniclinic, no estádio Presidente Vargas, o atleta não parou mais de balançar as redes. Só para se ter uma ideia, o mesmo já conseguiu marcar 6 gols em 3 jogos, sendo que só na estreia foram 4 de uma só vez.

Diante de todos esses acontecimentos, Gustavo despertou os olhares da mídia nacional com sua boa atuação – principalmente por causa de Rogério Ceni, que está contribuindo para que a instituição Fortaleza seja um dos centros de discussões na imprensa esportiva de todo o Brasil – e o medo de perder logo o atacante para o Corinthians, time responsável por emprestá-lo ao Fortaleza, fez com que a torcida tricolor ficasse com a chamada “pulga atrás da orelha” e, ao mesmo tempo, sem saber se ele poderia permanecer no clube cearense até o final do ano.

Porém, segundo informações obtidas pelo jornal O Povo, para que o jogador retornasse ao time paulista, o Corinthians teria que ressarcir o Tricolor do Pici em um valor que não foi revelado, em virtude de uma cláusula de confidencialidade, resultando, portanto, na permanência dele no Leão até o encerramento da temporada 2018, que marca o ano do centenário do clube.

Em entrevista concedida ao O Povo, o gerente de futebol do Corinthians, Alessandro Nunes, assegurou que “não há nenhuma possibilidade de o clube solicitar retorno de Gustavo antes do término do empréstimo”. Em seguida, o diretor ainda foi questionado pela reportagem acerca de como ficaria a situação do atacante caso outros clubes brasileiros venham a desejar o passe do mesmo, mas Alessandro simplesmente alegou que isso só dizia respeito ao Corinthians e ao Fortaleza por causa de acordos comerciais feitos entre as duas empresas.

Entretanto, sem respostas concretas, o jornal O Povo foi atrás de saber quanto uma outra equipe pagaria pelo atacante caso quisesse contratá-lo, e conseguiu descobrir que “a venda de Gustavo implicaria em duas multas rescisórias” – que, segundo o site Transfermarkt, está equivalendo a aproximadamente R$ 2,350 milhões -, “uma a ser paga ao Timão e outra ao Leão, o que deixaria a transação mais cara, dificultando o negócio”.

Comentários