Por um novo amanhã

Hoje é um dia diferente. Eu, como creio que todos os tricolores, acordei com um imenso desejo que já fossem 19:15 para ver o Leão entrar em campo e lutar, como fez durante toda a temporada nos momentos decisivos, para chegar àquilo que o próprio zagueiro Lima, em vídeo que circulou muito nas redes sociais, disse ser também o sonho do grupo. Esse sonho, que é grande e forte, é o de superar a incômoda e humilhante condição de membro da penúltima série do futebol nacional – situação que não condiz com o tamanho do nosso Tricolor de Aço.

A despeito de todas as dores das situações passadas, não é contra Oeste, nem Sampaio Corrêa, Macaé ou Brasil de Pelotas que o Fortaleza vai jogar. Por isso mesmo, não vale nem ajuda impor o peso do passado sobre a oportunidade que o presente oferece. Se é verdade que é possível e necessário aprender com o que ocorreu, é também verdadeiro que a essência de torcer por um time consiste exatamente em não deixar a esperança morrer. Hoje é dia de olhar para o futuro e vislumbrá-lo por um presente forte e uma condição diferente.

Hoje é dia sonhar com um Fortaleza de um tamanho proporcional ao que pode se tornar mesmo diante das mais severas adversidades. Para nós, nunca foi fácil. Para nós, o direito de sonhar é de fato uma necessidade. De outra forma, em vez de renascer da série C, nos apequenaremos e nos adequaremos ao tamanho desse fatídico campeonato. Hoje é o começo de uma semana que nos indica uma nova possibilidade para um novo Fortaleza.

 

Aos jogadores, cabe a missão de entender a dimensão de sua responsabilidade e que sonho sem trabalho é devaneio. Para eles, hoje é dia de correr e se aplicara ainda mais que nos melhores momentos da temporada. Hoje, vale por um ano inteiro, por quase uma década de muita humilhação e luta que cada tricolor travou ao longo dos últimos 7 anos. Hoje, é dia de acreditar um novo amanhã. Pra cima deles, Leão!

Comentários